É possível fazer abdominoplastia pelo SUS?

Quem deseja fazer uma abdominoplastia pelo SUS – Sistema Único de Saúde – pode conseguir isso. Essa cirurgia é oferecida gratuitamente e pode ajudar na recuperação da autoestima. 

Mas o serviço só é oferecido para cirurgias que tenham cunho corretivo e reparador. Ou seja, são procedimentos que precisam apresentar um laudo médico além das questões estéticas.

A abdominoplastia pelo SUS pode ser feita desde que justificada como essencial para a saúde e bem estar do paciente. E isso precisa ser prescrito por um médico licenciado.

A situação mais comum que justifica a realização de uma abdominoplastia pelo SUS é a cirurgia bariátrica. Pacientes que passam por essa cirurgia ficam com excesso de pele e muita flacidez.

A pele em excessos na região sobre o púbis é conhecida como abdômen em avental, e pode estar associada a fungos e assaduras nas regiões de dobras. Existe um grande apelo psicológico relacionado a esse quadro. As pessoas se sentem inseguras, e podem desenvolver diversos problemas, como depressão, por não gostarem de seus corpos.

O médico que realiza a cirurgia bariátrica consegue identificar a necessidade de uma abdominoplastia e demais procedimentos corretivos. Se for necessário, ele pode sim solicitar a cirurgia plástica como complemento.

Além disso, outras questões podem justificar a realização desse procedimento de forma gratuita.

Situações congênitas, de nascença, ou deformidades que tenham sido adquiridas por conta de alguma doença e/ou tratamento são aceitas como justificativa para a realização dessa e outras cirurgias plásticas na rede pública.

Mas é necessário ter paciência. As filas de espera para esse tipo de procedimento podem demorar anos. Em cidades maiores a espera é ainda maior, e por isso alguns pacientes acabam desistindo, e optam pelo serviço particular.

Para casos em que a saúde da paciente está em jogo, e existe urgência em realizar a abdominoplastia pelo SUS, pode-se entrar com uma ação judicial para acelerar o processo. Oriente-se com o seu médico sobre como proceder.

É possível combinar abdominoplastia e gravidez?

É muito comum que as mulheres busquem por procedimentos estéticos e cirurgias reparadoras depois de passarem por uma gestação. Mas o que dizer sobre a abdominoplastia e gravidez? Será que a gestação pode comprometer os resultados?

Uma das orientações mais comuns entre os especialistas em cirurgia plástica é que a mulher que se submete a uma abdominoplastia deve evitar engravidar. Isso porque a gestação poderá comprometer o resultado da cirurgia.

Afinal, a abdominoplastia remove excesso de pele e gordura, e estica a pele, diminuindo a flacidez. Durante o crescimento do feto, essa pele será novamente “alargada”, o que acaba com o resultado do procedimento.

Isso não significa que mulheres que passaram por essa cirurgia plástica não se recomenda engravidar.

Geralmente, as pacientes se submetem a abdominoplastia depois de engravidarem, e quando não pretendem mais ter filhos. Assim o resultado será permanente, desde que ela também não sofra com uma grande oscilação de peso.

Se ocorrer uma gravidez depois da realização da abdominoplastia, a mulher pode tomar alguns cuidados para que o resultado não seja comprometido. Um deles é aplicar óleos  na região, mantendo a pele sempre hidratada.

Também é fundamental, quando o assunto é abdominoplastia e gravidez, que a mulher controle muito bem o seu peso durante a gestação.

Algo importante: a mulher que passou por uma abdominoplastia e agora está gestante poderá ter um crescimento menor da barriga – mas isso não costuma comprometer a saúde do bebê!

Ela também pode sentir a região dolorida, como se tivesse feito uma sessão de abdominais, e a pele pode ter mais estrias do que o normal.

Com relação ao parto, a abdominoplastia e gravidez não costuma interferir em nada. Pode-se realizar tanto cesárea quanto parto normal, desde que sempre aconteça um acompanhamento médico para orientar a gestante sobre a melhor escolha para cada caso.

Como é feita uma cirurgia de abdominoplastia?

A cirurgia de abdominoplastia tem como finalidade remover o excesso de pele, diminuindo a flacidez.

Embora possa ser realizada em homens e mulheres, o público feminino costuma ser maioria nas clínicas que oferecem esse procedimento. Além de ajudar a diminuir as medidas da barriga, a cirurgia de abdominoplastia retira parte da pele dos lados muitas vezes também.

Duração da cirurgia

A cirurgia de abdominoplastia pode durar de 3 a 5 horas. Muitas vezes as mulheres combinam esse procedimento com algum outro, como a mamoplastia. Quando isso acontece, o tempo em sala de cirurgia pode aumentar.

A cirurgia começa com um corte sendo realizado entre a púbis e o umbigo. Em seguida, acontece a costura dos músculos abdominais.

Os músculos são costurados para desenhar melhor a cintura, e funcionam como uma cinta natural, dando mais forma ao corpo. Para finalizar, o excesso da pele abdominal é retirado, o restante é esticado e em seguida costurada.

O umbigo é um dos pontos de atenção. Ele precisa ser refeito, na maioria das vezes, pois no momento em que a pele é esticada ele “some” junto com o excesso. Geralmente é utilizado o próprio coto umbilical anterior, o nome dessa técnica chama-se onfaloplastia.

Os médicos especialistas (cirurgião plástico credenciado pela SBCP) está acostumado a recriar umbigos, e utiliza esse momento também para deixar o abdômen ainda mais bonito e harmônico.

Depois de realizada a cirurgia, é hora de pensar no pós-operatório, que também é parte crucial para o melhor resultado. O médico deverá oferecer toda a orientação necessária para que a paciente cuide de sua cirurgia nos próximos dias.

O bom resultado de uma cirurgia de abdominoplastia, assim como de qualquer outra, depende muito da qualidade do profissional que vai realizar o procedimento e dos cuidados da paciente.

O que é Abdominoplastia?

A abdominoplastia é uma cirurgia plástica que remove o excesso de pele da região abdominal, tornando o corpo mais modelado, esbelto e bonito. Muitas vezes essa cirurgia é realizada depois de uma perda de peso muito intensa, como é o caso de pacientes de bariátrica.

Mulheres que passam por uma gestação também podem realizar esse procedimento, devido as mudanças que ocorrem nesse período.

A flacidez é comum uma vez que a pele da barriga é esticada durante a gravidez. A abdominoplastia pode ser indicada para corrigir essa condição.

O mais importante é que as mulheres que decidam fazer o procedimento mantenham o peso estável para não comprometer o resultado. Embora o resultado da abdominoplastia costume ser permanente, ele pode ser comprometido pelas oscilações de peso, e desleixo com maus hábitos.

Ou seja, se depois do procedimento a mulher perder ou ganhar muito peso, pode voltar a ter flacidez, comprometendo o resultado. Mulheres que pretendem engravidar, por exemplo, devem adiar a cirurgia.

Como todo procedimento cirúrgico, essa cirurgia envolve uma incisão, que acontece entre o umbigo e a púbis. Através desse corte a gordura é removida, os músculos enfraquecidos são costurados e a pele esticada.

O umbigo também também costuma ser refeito nessa cirurgia.

Os cuidados no pós-operatório são importantes para evitar qualquer intercorrência evitável pelos bons cuidados. O cirurgião responsável (de preferência sempre membro da SBCP) pelo procedimento irá orientar a paciente sobre os cuidados depois de realizar uma abdominoplastia.

A recuperação da abdominoplastia é muito complicada?

A recuperação da abdominoplastia é um dos assuntos que mais interessa quem pretende se submeter a essa cirurgia. O pós-operatório dessa cirurgia, assim como qualquer outro, exige muito cuidado e atenção.

O mais importante é seguir todas as orientações do médico, e tomar a medicação conforme prescrito.

A recuperação da abdominoplastia pode demorar cerca de 60 a 90 dias para acontecer até que se volte a vida normal do dia a dia. Esse período médio é estipulado para uma pessoa que não tenha complicações em sua cirurgia, mas ainda assim pode variar para mais ou para menos.

Os hematomas referentes a cirurgia permanecem por umas 3 semanas depois do procedimento, embora os resultados já sejam visíveis logo em seguida.

O maior incômodo e dor acontecem nas primeiras 48 horas. Nesse momento é muito importante evitar movimentos bruscos, e tomar muito cuidado com a cirurgia. O indicado é manter um repouso relativo nesse momento.

Os primeiros 10 dias são os que apresentam os maiores riscos, pois é quando os pontos podem romper, ou podem surgir infecções e complicações em geral.

Por isso deve-se seguir a risca toda a orientação de seu médico para ter uma boa recuperação da abdominoplastia. A começar pela forma como você dorme, que deve ser sempre de barriga para cima e geralmente curvada em 45 graus.

O repouso é fundamental, mas é importante mexer pernas e pés com frequência para evitar inchaços e trombose. A cinta não deve ser removida nesse período, e as meias de compressão só devem ser tiradas para o banho, em seguida recolocadas.

Aos poucos, a paciente vai retomar a vida normalmente. No começo deve-se andar com o tronco levemente curvado, evitando causar qualquer tensão na pele operada. Dirigir está fora de cogitação por um tempo!

A recuperação da abdominoplastia  costuma ser tranquila, mas exige muito cuidado e atenção. O médico (lembre-se, opte por cirurgiões credenciados pela SBCP) irá orientar a paciente sobre cada um dos pontos de atenção, aumentado a segurança e as chances do melhor resultado final.

O que é a abdominoplastia com lipo?

A abdominoplastia com lipo é uma opção para quem quer eliminar gordura e tonificar a região abdominal. É uma cirurgia muito comum no Brasil, e que pode ser feita com o intuito estético ou reparador.

Esse procedimento, no entanto, não funciona para pessoas que estão muito acima do peso. Ela não serve como solução para a obesidade, por exemplo, mas pode ser feita por pessoas que emagreceram muito e querem deixar o corpo mais harmônico.

Por isso é muito comumente realizada por pacientes que se submeteram a bariátrica, que promove um emagrecimento muito rápido, o que acaba gerando excesso de pele, e comprometendo a estética e o bem-estar.

A principal finalidade é diminuir as medidas abdominais. Essa cirurgia é uma das preferidas das mulheres que querem afinar a cintura!

A abdominoplastia com lipo age de duas formas: removendo a gordura em excesso de toda a região abdominal e também de pontos específicos, como culote, costas etc. Depois disso, a pele da barriga é esticada, o que acaba deixando a região mais rígida e bonita.

Trata-se de um procedimento razoavelmente demorado, que pode durar 3 a 5 horas, dependendo do tamanho da área a ser operada. A cirurgia de abdominoplastia com lipo é realizada em etapas:

Primeiro são realizados pequenos cortes nas regiões onde serão lipoaspiradas, em seguida é realizada a infiltração de uma solução vasoconstritora com o intuito de diminuir sangramentos, e em seguida é realizada a lipoaspiração.

Após isso é realizado o corte da pele do abdômen, realizada a sutura nos músculos flácidos. Nesse passo a pele em excesso é retirada e o restante é esticado e costurado da forma correta. Geralmente é refeito o umbigo através do próprio coto umbilical pela neonfaloplastia.

Como qualquer cirurgia, a abdominoplastia com lipo gera cicatrizes, mas elas podem ser amenizadas com um bom pós-operatório.

Para realizar a abdominoplastia com lipo, é essencial procurar por um médico certificado pela Sociedade Brasileira de Cirurgia Plástica.

Quais são os riscos da abdominoplastia?

A abdominoplastia é uma cirurgia muito procurada por pessoas que querem tornar o corpo mais esbelto e bonito. Descubra quais são os riscos da abdominoplastia.

A ideia de remover o excesso de pele da região abdominal e resolver algumas imperfeições através de uma cirurgia é realmente sedutora. Mas é importante conhecer bem o procedimento antes de se submeter a ele.

Os riscos relacionados a esse tipo de técnica podem variar de intensidade, indo dos mais comuns e simples aos mais complexos e perigosos. Entre eles estão:

  • Infecções de sítio cirúrgico;
  • Deiscência (abertura) dos pontos;
  • Inflamações inespecíficas;
  • Hematomas;
  • Seromas;
  • Necrose (morte) da pele operada;
  • Trombose venosa profunda;
  • Tromboembolismo Pulmonar;
  • Entre inúmeros outras possibilidades.

Para minimizar esses problemas, começa-se pelo pré-operatório, que é o momento que antecede a cirurgia, e no qual a paciente se prepara para realizá-la. É recomendável que sejam feitos exames variados para constatar que a pessoa está apta a passar por esse procedimento.

Qualquer doença ou condição especial deverá ser identificada e tratada antes de agendar a cirurgia. Também é importante que a paciente esteja em um peso adequado.

Outro ponto essencial para diminuir os riscos da abdominoplastia é escolher um médico altamente qualificado, e que seja registrado na Sociedade Brasileira de Cirurgia Plástica – SBCP.

Por fim, para diminuir os riscos da abdominoplastia, a paciente deve seguir todas as orientações do profissional cirurgião, tanto aquelas que antecedem a cirurgia quanto as do pós operatório.

O que é a abdominoplastia em âncora?

A abdominoplastia em âncora é um procedimento de carácter geralmente reparador que se assemelha muito a abdominoplastia tradicional em alguns aspectos, e é uma alternativa para casos específicos.

O nome se deve ao formato da remoção da pele que é realizada na barriga do paciente para retirada do excesso.

Ele literalmente se parece com uma âncora, já que o corte é realizado na parte central, logo abaixo do peito, e segue até abaixo do umbigo, espalhando-se para ambos os lados.

Essa cirurgia é muito indicada quando o procedimento tradicional de abdominoplastia não consegue entregar o resultado esperado pelo paciente.

Em geral, é indicado para pessoas que possuem pele em excesso na parte inferior e superior da barriga, ou ainda quem tem flacidez e excesso de pele em toda a circunferência abdominal, inclusive nas costas.

A principal indicação da abdominoplastia em âncora é para quem emagreceu muito, e rapidamente. Ou seja, pacientes que passaram por uma cirurgia bariátrica são absolutamente elegíveis para esse procedimento.

Uma das maiores vantagens é que a abdominoplastia em âncora pode ser feita “reaproveitando” a cicatriz deixada por outras cirurgias, evitando assim que o paciente ganhe novas marcas. Em casos em que não há uma incisão prévia, geralmente a âncora não é indicada pelos cirurgiões plásticos que preferem em sua maioria a técnica do lifting corporal inferior (abdominoplastia circunferêncial).

Tanto o período pré-operatório quanto o pós-operatório são essenciais para o sucesso da cirurgia. A paciente deve passar por uma série de exames que atestem a sua condição de ser submetido a abdominoplastia em âncora.

Depois que a cirurgia é feita, é crucial que ela siga as orientações médicas de repouso, alimentação e medicação. Tudo isso terá impacto direto no resultado final da abdominoplastia em âncora.

Escolha sempre um médico cirurgião plástico especializado credenciado e membro da Sociedade Brasileira de Cirurgia Plástica, desta forma poderá minimizar a probabilidade de problemas posteriores.

O que é a diástase abdominal?

Durante a gestação, o corpo de uma mulher muda muito. E às vezes é difícil recuperar o aspecto físico como antes de engravidar. Uma das coisas mais comuns a acontecer é a chamada diástase abdominal.

Ela é caracterizada pelo afastamento dos músculos abdominais, que fazem com que a mulher perca a cintura e também fique com a barriga “estufada”. Além do incômodo estético, essa situação também pode causar dores abdominais.

Esses músculos estão localizados desde a púbis até a costela. O afastamento acaba “dividindo” o abdômen em duas partes, o que faz com que pareça maior, além do aparecimento de uma barriguinha.

A perda das curvas naturais é um dos resultados que mais incomoda as mulheres em geral. Às vezes o afastamento é tão aparente, que é possível perceber um “buraco” no centro do abdômen ao pressionar alguns dedos, onde deveria haver um músculo.

Identificar a diástase abdominal requer muita atenção. Observando o seu corpo você poderá notar algumas diferenças físicas. Uma das formas de perceber se você sofre de diástase abdominal é percebendo se apareceu uma barriga flácida na parte baixa de seu abdômen.

Você também pode se deitar de barriga para cima e pressionar o dedo indicador dois centímetros acima e abaixo do umbigo. Em seguida, contraia o abdômen como se fosse se exercitar. Se os dedos não se mexerem, significa que não há músculo na região, o que indica o quadro de diástase.

Mas não se preocupe. Essa é uma situação que pode ser revertida. Existem alguns procedimentos médicos que podem lhe ajudar nisso.

A fisioterapia e a prática de exercícios físicos como pilates pode ajudar muito. Mas o mais comum é que as pessoas se submetam a uma cirurgia de correção do problema.

A cirurgia de correção da diástase abdominal consiste em costurar os músculos que se afastaram, recuperando a estrutura natural do corpo. Em alguns casos, o médico poderá sugerir uma abdominoplastia ou lipoaspiração para complementar o procedimento.

Escolha sempre um médico cirurgião plástico especializado credenciado e membro da Sociedade Brasileira de Cirurgia Plástica, desta forma poderá minimizar a probabilidade de problemas posteriores.

Abdominoplastia e pós-operatório: como é o processo de recuperação?

Todo mundo se preocupa com o processo de recuperação de uma cirurgia. E isso não e diferente quando o assunto é abdominoplastia e pós-operatório: como acontece a recuperação?

O ponto mais importante da recuperação depois de fazer esse procedimento é o repouso. A indicação, de modo geral, é que se mantenha em repouso relativo por pelo menos 14 dias depois de realizar a cirurgia.

Mas a recuperação total pode durar até 3 meses para retorno das atividades habituais do dia a dia, e requer inúmeros cuidados.

Quando falamos em abdominoplastia e pós-operatório, é importante ressaltar que a paciente não poderá dormir de barriga para baixo. O indicado é que o abdômen fique virado para cima e que use um apoio para as costas como o triângulo ou travesseiros para evitar se esticar nos primeiros dias.

O médico responsável pelo procedimento também indicará o uso de uma cinta, que deverá fazer parte do dia a dia até que a cirurgia esteja completamente cicatrizada.

Outros itens podem fazer parte da rotina de quem se submete a uma abdominoplastia. O dreno, por exemplo. Algumas vezes ele é retirado antes da alta, mas algumas pessoas podem ir para casa com ele.

Nesse caso é fundamental se orientar com o médico sobre como cuidar dessa peça, e como manuseá-la corretamente.

As meias de compressão também são muitas vezes indicadas. Elas evitam o surgimento de coágulos, e são essenciais, sendo tiradas apenas na hora do banho.

O banho, aliás, é um dos momentos mais difíceis, mas nada impossível. Geralmente se indica a ter alguém próximo durante o banho nos primeiros dias.

O paciente pode pedir ajuda a um familiar para lavar algumas partes do corpo, sempre tomando cuidado com a região operada.

Siga todas as orientações de seu médico, e tenha muito cuidado com a cirurgia para desfrutar dos melhores resultados.

Escolha sempre um médico cirurgião plástico especializado credenciado e membro da Sociedade Brasileira de Cirurgia Plástica, desta forma poderá minimizar a probabilidade de problemas posteriores.