A hidrolipoaspiração funciona?

Primeiramente, a hidrolipoaspiração é considerada uma lipoaspiração comum com algumas características peculiares de infiltração, porém com um nome estilizado para chamar atenção a nível comercial. 

Ela tem se mostrado efetiva em oferecer a excelentes resultados, assim como qualquer modalidade de lipoaspiração.

A hidrolipoaspiração é geralmente um procedimento feito com anestesia geral, ou bloqueios anestésicos (peridural ou raquidiana), e em alguns casos até mesmo com anestesia local.

Chama-se assim por utilizar solução de infiltração
na gordura a ser lipoaspirada para diminuir sangramentos.

O incômodo que ela pode vir a causar no meio médico é o fato de que mudanças relativamente pequenas, em relação à “tradicional”.

Muitos acreditam que o uso de seu nome seja algo feito apenas em função de marketing.

A hidrolipoaspiração também é chamada de lipoaspiração tumescente, lipoaspiração fracionada, lipolight, hidrolipoclasia aspirativa e de uma série de outros nomes.

Entenda mais sobre a hidrolipoaspiração

O procedimento conta com um pós operatório muito semelhante ao “tradicional”, mas possivelmente com menos equimoses, e menos fraqueza no pós por ter menos perda sanguínea.

Essa “pouca” diferença do outro método faz com que exista questionamentos se a hidrolipoaspiração realmente compensa.

Porém, deve ser analisado cada caso em específico antes de se chegar a uma conclusão.

Quando realizado com anestésicos locais os resultados tendem a ser mais sutis, oferecendo assim uma modelagem menor ao paciente.

Isso ocorre pelo fato que não é possível utilizar muito anestésico, e consequentemente restringindo a apenas algumas regiões.

Apenas quem poderá recomendar para qualquer paciente a hidrolipoaspiração ou uma lipoaspiração tradicional é o cirurgião plástico.

É importante se certificar de que esse cirurgião faça parte da Sociedade Brasileira de Cirurgia Plástica (SBCP).

Para saber se, no seu caso, a hidrolipoaspiração ou a lipoplaspiração comum seria mais efetiva, não deixe de falar com seu médico.

Deixe um comentário

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *